terça-feira, 12 de abril de 2011

O Olhar sobre a cidade através da Fotografia

Entrevista com o fotógrafo Tuca Vieira

Izabella Araújo¹

A cidade é, talvez, o trabalho mais complexo feito pelo ser humano. Eu vejo um grande drama humano na forma da cidade.”
Tuca Vieira




Paraisópolis- São Paulo



O fotógrafo Tuca Vieira (foto ao lado) nasceu em São Paulo, no ano de 1974. Formou-se em Letras pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), em 1998. Estudou fotografia com Cláudio Feijó, Eduardo Castanho, André Douek, Nair Benedicto e Eder Chiodetto. Após morar uma temporada no exterior, voltou ao Brasil e passou a se dedicar ao fotojornalismo: trabalhou no Museu da Imagem e do Som, na Agência N-Imagens e atua como fotógrafo profissional desde 1991. Recebeu o Prêmio Folha de Jornalismo – categoria fotografia (2003), o Prêmio Grupo Nordeste de Fotografia – categoria profissional (2005) e foi contemplado no Concurso de apoio à produção de artes visuais, da Secretaria de Estado e da Cultura de São Paulo, com o qual realizou o projeto Fotografia de Rua. Fez parte da equipe de fotografia da Folha de São Paulo de 2002 a 2009. Segundo o fotógrafo “ É bonito dizer que a câmera é uma extensão do olho, mas eu vejo a câmera mais como um caderno de esboços.

Atualmente é fotógrafo independente e desenvolve projetos envolvendo a cidade, a paisagem urbana, arquitetura e urbanismo. Em 2005, juntamente com Marcelo Coelho, publicou o livro As Cidades do Brasil: São Paulo, que é um volume inaugural da coleção As cidades do Brasil, da Publifolha, que lança um olhar apurado e particular sobre a capital paulista.


Alguns trechos da entrevista feita por Simone Kraft, disponível na íntegra, em inglês, no site do fotógrafo Tuca Vieira(http://www.fototucavieira.com.br/), foram traduzidos para o português, por mim, Izabella Araújo, e podem ser conferidos abaixo. Algumas perguntas, como é o caso da 5ª, foram atualizadas e novamente respondidas por e-mail pelo fotógrafo.

Vale a pena conferir!


1)Conte-nos um pouco sobre você.

Eu sou da típica família brasileira urbana e de classe média, descendente de imigrantes europeus...

2)Você estudou línguas e literatura em primeiro lugar. Por que você decidiu se tornar fotógrafo?

Decidi ser fotógrafo antes da universidade. Quando tive que escolher um curso, eu pensei que a língua e a literatura me dariam uma boa formação, social, estética e histórica. Muitos fotógrafos que admiro não estudaram fotografia. Adoro literatura, os escritores são os melhores criadores de imagem. Kafka, Jorge Luis Borges e José Saramago, por exemplo, estão sempre na minha mente quando penso sobre a fotografia.



Rio de Janeiro- 2006

3)O que a fotografia significa para você e quais as possibilidades que ela oferece?

A fotografia é como um passaporte. Ele coloca você em algumas situações interessantes que não seria possível de outra maneira. Às vezes eu sinto que as pessoas que conheço são mais importantes do que as fotografias que eu tomo. No futuro, eu não tenho certeza se vou deixar um bom trabalho fotográfico, mas vou ter muitas histórias para contar.

4)O que você está procurando quando você processa uma imagem?

Estou sempre tentando entender onde eu estou e o que as coisas significam, e a câmera é uma excelente ferramenta para isso. A fotografia tem algo a ver com posse. Quando eu tenho uma boa imagem de um lugar, é como ter um lugar para mim, ou melhor ainda, compreender o lugar. Se eu conseguir comunicar este sentimento para outra pessoa, então eu acho que tenho uma boa imagem.

5)Você tem critérios para escolher a composição?

Depois de escolher um assunto interessante, eu tento encontrar a melhor forma de traduzir o sentimento que eu tenho ao olhar determinado “objeto”. É um processo racional e lento e a conseqüência é que algumas das minhas fotos têm uma composição rígida. Eu tento encontrar um equilíbrio. Um bom enquadramento é importante, gosto da foto em que não falta nada, onde cada canto tem o seu significado.


Centro- São Paulo

6) Por que fotografar a arquitetura urbana? Quais são as suas ambições com as suas fotografias?

Não sei se sou exatamente um fotógrafo de arquitetura. Às vezes eu me sinto mais perto dos fotógrafos de paisagem. Mas, ao invés da natureza, eu olho para as cidades. Eu gosto da expressão "selva de pedra", explica bastante sobre meu trabalho.

7)Um dos lugares mais fotografados por ti é São Paulo , mas eu suponho que agora você está explorando novas cidades, como S. Petersburgo, Berlim ...

Exatamente. Eu agora sinto que é hora de explorar lugares diferentes. Estive em Berlim ano passado, para um período de três meses. São Paulo é minha cidade e eu gosto de ver o trabalho de um fotógrafo estrangeiro sobre São Paulo. Agora quero ver como é meu olhar estrangeiro.


Berlim- 2009

8)A maioria das suas fotos revela o espaço urbano, mas dificilmente encontramos fotos de pessoas. Isso é intencional?

Não é intencional. Eu não penso muito sobre isso. Mas mesmo sem as pessoas, eu tento mostrar a presença humana por trás dos prédios. A cidade é talvez o trabalho mais complexo humano já feito. Eu vejo um grande drama humano na forma da cidade.



São Paulo- 2008

9) O que a arquitetura significa para você?

Eu morava em Belo Horizonte, no estado de Minas Gerais, quando eu era adolescente, e eu nunca vou esquecer o impacto de visitar as obras de Niemeyer na Pampulha ou nas cidades coloniais como Ouro Preto e Sabará. A riqueza da arquitetura barroca e modernista no Brasil (e suas relações) é um exemplo maravilhoso do que este país pode oferecer para o mundo.

10) Qual a importância da arte na sua vida?

É como comida, eu não posso viver sem arte.

11)O epitáfio de seu túmulo?
"
Diz Que Fui Por Aí”



Centro - foto tirada de um apartamento no Edifício Copan

__________________________________________________________________________

(1) Aluna de gradução em Letras da Universidade Federal de Alagoas.

// O Projeto de extensão multipliCIDADEscrita agradece a colaboração e gentileza do fotógrafo Tuca Vieira, que além de ceder suas fotos para serem publicadas no blog, foi extremamente solidário e prestativo com o grupo. Para quem tem interesse em conhecer melhor o trabalho desse fotógrafo, acesse o site: http://www.fototucavieira.com.br/ .







Nenhum comentário:

Postar um comentário